Em maio, custos com materiais de construção acumulam aumento de 32,06% em 12 meses

Daniela Barbará

Por Daniela Barbará

Em maio, custos com materiais de construção acumulam aumento de 32,06% em 12 meses

O Custo Unitário Básico (CUB) global da indústria da construção do Estado de São Paulo registrou variação positiva de 2,23% em maio de 2021 e já acumula alta de 7,80% no ano. O resultado da variação na comparação em 12 meses é de +15,53%. O dado é do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e da FGV (Fundação Getulio Vargas). O CUB é o índice oficial que reflete a variação dos custos das construtoras, utilizado na atualização financeira dos contratos de obras.

Em maio, a variação dos custos com materiais de construção foi positiva em +2,06% no período na comparação com o mês anterior, acumulando variação expressiva de +32,16% em 12 meses e de +16,16% em 2021. A variação dos custos médios das construtoras em maio com administrativo (salário dos engenheiros) foi positiva em +2,27% e com mão de obra, +2,36%. Enquanto isso, as variações em 12 meses foram respectivamente: 3,93% e +6,12%.

De acordo com Odair Senra, presidente do SindusCon-SP, a variação do CUB em maio refletiu tanto a alta dos preços dos materiais de construção como o reajuste salarial de convenções coletivas de trabalho assinadas no mês passado. “A maior preocupação continua sendo a onerosidade excessiva dos materiais que, embora tenha sofrido desaceleração em seu ritmo de alta, continua prejudicando as construtoras e desequilibrando seus contratos de fornecimento de obras públicas e privadas”, afirma.

O CUB representativo da construção paulista (R8-N) ficou em R$ 1.658,43 por metro quadrado em maio de 2021.

Com desoneração 

Nas obras incluídas na desoneração da folha de pagamentos, o CUB registrou variação positiva de +2,21% em maio, comparado ao mês de abril. Em 12 meses, a variação foi de +16,36% e no ano, +8,18%. O custo médio da construção paulista subiu para R$ 1.549,51 por metro quadrado em maio.

Em maio, a variação dos custos médios das construtoras com administrativo (salários dos engenheiros) foi +2,27%. No período, a variação com mão de obra foi +2,33% e com materiais foi positiva em +2,06%.

Custos dos insumos

Em maio, as maiores variações do período acima do IGP-M (+4,10%) foram: Vidro liso transparente 4 mm c/ massa (+5,60%) e Chapa compensado plastificado 18mm (+4,97%).

No período, as variações mais expressivas medidas em 12 meses acima do IGP-M (+37,04%) foram: Aço CA-50 Ø 10 mm (+72,88%), Fio cobre antichama isol. 750 V 2,5 mm² (+63,31%), Cimento CPE-32 saco 50kg (+42,70%) e Tubo de ferro galv. c/ costura Ø 2 1/2″ (+37,90%).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você precisa saber.
As últimas novidades sobre o mercado,
no seu e-mail todos os dias.

Skip to content