Casos confirmados de Covid-19 nas obras caem ao mínimo histórico, mas protocolos sanitários devem ser mantidos 

Rafael Marko

Por Rafael Marko

Casos confirmados de Covid-19 nas obras caem ao mínimo histórico, mas protocolos sanitários devem ser mantidos 

Os casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus entre os trabalhadores da construção paulista caíram de 0,07% para 0,03% do contingente de trabalhadores – o nível mais reduzido desde o início da série histórica, em maio de 2020. Os casos suspeitos se mantiveram em 0,16%.

Estes foram os resultados da 66ª Pesquisa “Conhecendo as Ações das Construtoras Paulistas no Combate à Covid-19”, realizada semanalmente por SindusCon-SP e Seconci-SP (Serviço Social da Construção). Pela sexta semana consecutiva, não se registraram óbitos. Nenhum trabalhador estava em internação hospitalar pela quinta semana seguida.

Odair Senra, presidente do SindusCon-SP, e Haruo Ishikawa, presidente do Seconci-SP, atribuem os resultados à disciplina dos trabalhadores e das empresas na observância das medidas de proteção, bem como ao avanço da vacinação.

“Naturalmente todos devemos insistir em que este não é o momento de baixar a guarda. E reiterar a importância de se tomar a segunda dose da vacina no devido prazo, para garantir a imunização completa. É importante que o assunto continue sendo conversado nos Diálogos Diários de Segurança, desfazendo preconceitos e fake news contrários à vacinação”, afirmam Senra e Ishikawa.

Nesta 66ª rodada, foram obtidas respostas de 50 empresas, responsáveis por 592 obras, envolvendo 39.497 empregos diretos e terceirizados, de 19 a 25 de agosto.

Principais resultados da 66ª Pesquisa:

· 0,16% afastados por suspeita de Covid-19;

· 0,03% afastados por confirmação da doença;

· 592 obras em andamento e nenhuma parada;

· 98% do pessoal estão em atividade;

· 100% das empresas adotam medição de temperatura e higienização das mãos, dão orientações diárias sobre prevenção, e higienizam e realizam demarcações em áreas de vivência;

· 98% orientam sobre limpeza dos Equipamentos de Proteção Individual e afixam informativos impressos sobre a Covid-19 nos locais de circulação;

· 94% fornecem máscaras para o transporte e para utilização na obra e realizam limpeza de EPIs e ferramentas e instituem horários escalonados para entrada, saída e refeições;

· 88% divulgam aos trabalhadores cartazes e vídeos de orientação do SindusCon-SP e do Seconci-SP e realizam outras práticas para a prevenção da contaminação entre os trabalhadores e a comunidade.

· 83% distribuem informativos eletrônicos sobre a Covid-19.

Os presidentes do SindusCon-SP e do Seconci-SP reafirmam o convite para mais empresas com obras no Estado de São Paulo participarem das próximas rodadas; basta enviar um e-mail para [email protected] e o Seconci-SP entrará em contato para incluir a construtora na enquete. As entidades garantem sigilo absoluto sobre as informações prestadas.

Veja os relatórios completos das rodadas da pesquisa:

Cinco últimas

57ª à 61ª 

52ª à 56ª

47ª à 51ª 

42ª à 46ª

37ª à 41ª 

31ª à 36ª

25ª à 30ª  

19ª à 24ª

13ª à 18ª  

7ª à 12ª

Seis primeiras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O que você precisa saber.
As últimas novidades sobre o mercado,
no seu e-mail todos os dias.

Skip to content