Abecip estima queda de 5% no crédito imobiliário do SBPE em 2022

Rafael Marko

Por Rafael Marko

Abecip estima queda de 5% no crédito imobiliário do SBPE em 2022

 

Já os financiamentos com recursos do FGTS deverão avançar 30%, segundo a entidade 

O volume de crédito imobiliário com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), que totalizou R$ 205,4 bilhões em 2021, deverá cair 5% em 2022, para R$ 195 bilhões. Já os financiamentos com recursos do FGTS, que somaram R$ 49 bilhões em 2021, deverão se elevar em 30% em 2022, para R$ 64 bilhões. 

Os dados e as estimativas foram anunciados pela Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), em entrevista à imprensa em 27 de janeiro. Somando as estimativas sobre o desempenho dos financiamentos do SBPE e do FGTS, a projeção é de uma expansão de 2% no volume do crédito habitacional em 2022, na comparação com 2021. 

Construção e aquisição 

O ano passado fechou com recursos de R$ 40,6 bilhões das Cadernetas de Poupança, destinados à construção de imóveis – expansão de 35% na comparação com 2020. 

Para o financiamento da aquisição de imóveis, o SBPE destinou R$ 164,8 bilhões, sendo R$ 110,3 bilhões para unidades usadas e R$ 54,5 bilhões para novas. No total, houve aumento de 75% em relação ao volume de 2020. 

Unidades financiadas 

Em 2021, os recursos da Poupança financiaram a construção e aquisição de 866 mil unidades habitacionais, um aumento de 103% na comparação com 2020. 

Já o FGTS financiou 367 mil unidades, uma queda de 9% em relação a 2020. 

Recorde histórico 

O total financiado pelo SBPE e pelo FGTS foi de R$ 255 bilhões em 2021. O presidente da Abecip, José Ramos Rocha Neto, destacou o recorde histórico dos financiamentos com recursos das Cadernetas de Poupança em 2021 e disse esperar que 2022 seja “o segundo melhor ano da história do SBPE”. 

“Grande parte das construções iniciadas em 2020 e 2021 ficarão prontas em 2022 e 2023, mantendo elevado o número de contratações de crédito pelos mutuários finais”, enfatizou o presidente da Abecip. 

Poupança em queda 

No ano passado, a captação líquida das cadernetas foi negativa de R$ 35 bilhões, refletindo o uso mais intenso dos recursos na complementação do orçamento doméstico num ano em que as condições econômicas foram apertadas para as famílias, com desemprego elevado e queda na renda e no poder aquisitivo, segundo a Abecip. 

Ainda assim, o saldo da poupança atingiu R$ 790 bilhões, recuo nominal de apenas 1,4% em relação a 2020. A entidade manifestou a expectativa de que, com as regras de remuneração das cadernetas, a poupança do SBPE tenderá a apresentar em 2022 reação positiva em relação a 2021, preservando seu papel no funding do crédito imobiliário.  

O que você precisa saber.
As últimas novidades sobre o mercado,
no seu e-mail todos os dias.

Skip to content