Habitação

Schindler expõe viabilidade de elevadores em habitação popular

Apresentação foi feita em reunião do CHP do SindusCon-SP

Por Rafael Marko 05/12/2019 09:01:36

Ronaldo Cury, vice-presidente de Habitação do SindusCon-SP
Ronaldo Cury, vice-presidente de Habitação do SindusCon-SP em reunião do CHP

Elevadores sem casa de máquinas para obras de baixo custo tornam-se tecnicamente e economicamente viáveis em empreendimentos entre 6 e 8 andares, com 6 apartamentos por andar de 2 dormitórios cada, para transporte de até 8 passageiros à velocidade de 1m/segundo.

Esta foi uma das mensagens transmitidas por Luis Mundim, gerente de Gestão de Vendas e Marketing de Novas Instalações da Elevadores Atlas Schindler, em apresentação feita ao Comitê de Habitação Popular (CHP) do SindusCon-SP, em 4 de dezembro. A reunião foi coordenada pelo vice-presidente de Habitação do sindicato, Ronaldo Cury.

Segundo Mundim, já para empreendimentos de 15 a 25 andares, com 6 a 10 apartamentos por andar de 2 dormitórios, são viáveis de 3 a 4 elevadores com capacidade para 13 pessoas e velocidade de 2m/segundo. Estes equipamentos podem reverter boa parte da energia consumida para a concessionária ou para utilização em iluminação nas áreas comuns da edificação.

Luis Mundim, gerente de Gestão de Vendas e Marketing de Novas Instalações da Elevadores Atlas Schindler
Luis Mundim, gerente de Gestão de Vendas e Marketing de Novas Instalações da Elevadores Atlas Schindler

O gerente destacou que a Atlas Schindler oferece consultoria gratuita às empresas para auxiliar no correto dimensionamento dos elevadores ainda na fase de projeto dos empreendimentos. Segundo ele, os equipamentos para obras de baixa custo também atendem aos requisitos da NBR 313, são instalados em 15 dias e o tempo entre o pedido à empresa e a instalação é de 4 meses. A manutenção pode sair por R$ 400 mensais, o que num empreendimento de 40 apartamentos significa R$ 10 mensais por unidade habitacional.

Mundim também informou que, de um mercado brasileiro de 8 mil elevadores/ano, 1.200 são destinados para obras de baixo custo. O número de 8 mil é o dobro dos equipamentos de todos os países latino-americanos juntos, mas está muito distante dos 450 mil/ano da China.

Planejamento

Membros do CHP participam de reunião no SindusCon-SP
Membros do CHP participam de reunião no SindusCon-SP

O Comitê de Habitação Popular também planejou suas atividades para 2020, com ênfase em diálogos com setores de governo responsáveis por políticas habitacionais, instituições financeiras, concessionárias de serviços e órgãos de aprovação de projetos.

Também ficou acertada a manutenção de reuniões conjuntas com o Comitê de Habitação Popular do Secovi-SP, para encontros com autoridades da área.

Ao final, Ronaldo Cury comentou que o governo deverá buscar quitar os pagamentos em atraso e anunciar em breve as novas bases da continuidade do Programa Minha Casa, Minha Vida.









Horário de atendimento

seg-qui 08h00 às 18h00

sex 08h00 às 12h00

Rua Drº Bacelar, 1.043 | 5º andar

Vila Clementino,

São Paulo-SP,

04026-002

Tel (11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br



Horário de atendimento

seg-qui 08h00 às 18h00

sex 08h00 às 12h00

Rua Drº Bacelar, 1.043 | 5º andar

Vila Clementino,

São Paulo-SP,

04026-002

Tel (11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br