Tecnologia e Qualidade

Norma de Guarda-corpos para edificação foi revisada

Alterações foram publicadas no dia 30 de agosto

Por Daniela Barbará 11/09/2019 08:58:20

Foi publicada, no dia 30 de agosto, a revisão da ABNT NBR 14718 – Esquadrias – Guarda-corpos para edificação – Requisitos, procedimentos e métodos de ensaio, que especifica os requisitos e métodos de ensaio para guarda-corpos para edificação, externos ou internos, para uso privativo ou coletivo, instalados em edificações habitacionais, comerciais, industriais, esportivas, culturais, religiosas, turísticas, educacionais, de saúde e de terminais de passageiros. Não sendo aplicável à indústria do petróleo e gás natural, bem como às obras de infraestrutura e viárias. Essa revisão cancela e substitui a edição anterior (ABNT NBR 4718:2008).

Essa Norma assegura ao consumidor o recebimento dos produtos com condições mínimas de desempenho. Os guarda-corpos ensaiados em laboratório ou em local estabelecido pelo contratante, representam a situação mais crítica em relação à dimensão dos vãos e fixação. Os guarda-corpos são instalados nas condições previstas a fim de complementar o dimensionamento com base em projetos estruturais, dos perfis, vidros, componentes e elementos de fixação, demonstrando o atendimento de seu desempenho por meio dos resultados dos ensaios.

Alterações

A principal alteração do texto da norma foi o escopo, pois agora o mesmo deixa claro que a norma se aplica a todos os guarda-corpos utilizados em edificações, em áreas com um desnível maior ou igual a 1 metro, incluindo estádios e aeroportos. Outra alteração importante diz respeito à altura de proteção do guarda-corpos que deve ser maior ou igual a 1,10 m. Na versão anterior essa altura estava como maior ou igual a 1,0 m.

No item requisitos, o novo texto estabelece que em casos de guarda-corpos externos, foi inserido que se deve também prever a pressão de vento do local calculada, conforme ABNT NBR 10821-2:2017 e as cargas de uso e de segurança a serem aplicadas em cada tipo de guarda-corpos foram alteradas e divididas em classe conforme a aplicação dos guarda-corpos.

A durabilidade dos materiais empregados nos guarda-corpos foi tratada de forma mais abrangente no item Requisitos específicos. E também foram alteradas as condições de projeto, na questão da altura dos guarda-corpos em relação à altura das muretas, com a inclusão de figura ilustrativas. Os ensaios de esforço estático horizontal, esforço estático vertical e resistência a impactos, também receberam alguns ajustes na metodologia, mas sem alterar o seu princípio. E por fim foi inserida uma seção sobre Limpeza e Manutenção dos guarda-corpos.

A Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (Comat) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), por meio de seu Grupo de Acompanhamento de Normas Técnicas (GANT), monitorou e divulgou o status do projeto.

Com informações da CBIC









Rua Dona Veridiana, 55

Santa Cecília,

São Paulo,

01238-010

(11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br



Rua Dona Veridiana, 55

Santa Cecília,

São Paulo,

01238-010

(11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br