Momento é decisivo para um novo rumo no combate à pandemia

Redação SindusCon-SP

Por Redação SindusCon-SP

Momento é decisivo para um novo rumo no combate à pandemia

A voz da indústria da construção paulista ganha este novo veículo de comunicação, destinado ao debate dos principais temas do setor e da agenda nacional. Em nome das 50 mil empresas de construção que empregam 600 mil trabalhadores, representadas pelo SindusCon-SP, agradecemos a O Estado de S. Paulo por esta relevante parceria.

A substituição do ministro da Saúde abre a oportunidade para que União, Estados e Municípios finalmente unam esforços e cheguem a uma política coordenada, consistente e firme de combate à pandemia.

Para tanto, é imprescindível uma articulação entre Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários Estaduais da Saúde, Frente Nacional de Prefeitos e associações de especialidades médicas.

Será necessário adquirir e aplicar mais vacinas e garantir o apoio federal na abertura de novos leitos hospitalares.

Será preciso enfrentar com rigor os que se aglomeram e resistem à adoção das medidas de prevenção. Não fazê-lo é estimular mais mortes e mutações cada vez mais agressivas do coronavírus, ameaçando reduzir a eficácia das vacinas.

Deve-se ir além das recomendações de uso de máscara e distanciamento social. Uma campanha nacional massiva por todos os meios de comunicação e redes sociais precisa condenar firmemente as aglomerações e estimular a vacinação.

Há consenso em que a economia, o emprego e a renda dos brasileiros somente voltarão a crescer se a vacinação for adotada como a principal medida econômica, social e sanitária no país.

Precisamos avançar prioritariamente na ampliação e agilização da cobertura vacinal, até para evitar lockdowns que bloqueiam a economia, aprofundam a recessão e aumentam o desemprego.

Nas localidades em que lockdowns temporários sejam implementados, será necessário preservar a construção civil, atividade essencial por seu protagonismo no crescimento da economia com geração massiva de empregos e renda.

Pesquisa semanal realizada por SindusCon-SP e Seconci-SP (Serviço Social da Construção) demonstra que os trabalhadores da construção preservam corretamente sua saúde nos canteiros de obras.

Nestes, os percentuais de contaminação são ínfimos, mesmo na atual fase aguda da pandemia. Nenhum óbito é registrado há 10 meses, e 99,8% das obras estão em atividade no Estado de São Paulo. E é preciso evitar obras paradas, situação que poderia gerar condições inseguras em suas estruturas. O que mais necessitamos agora é de vacinação massiva. Ela também evitará o aumento incessante do déficit público com despesas recorrentes em auxílios emergenciais e no atendimento hospitalar.

Quanto antes alcançarmos uma vasta cobertura vacinal, menos vidas serão ceifadas e mais rapidamente teremos as condições de realizar as reformas e o ajuste fiscal necessários a uma ancoragem das expectativas, que possibilite a volta dos investimentos, impulsionando o crescimento econômico com geração de empregos e renda.

O texto reflete a íntegra da coluna Entre Aspas publicada semanalmente pelo SindusCon-SP no jornal O Estado de S. Paulo (19/03/2021).

O que você precisa saber.
As últimas novidades sobre o mercado,
no seu e-mail todos os dias.

Skip to content