Incorporação registra mais lançamentos que vendas em 2021 

Rafael Marko

Por Rafael Marko

Incorporação registra mais lançamentos que vendas em 2021 

Em ambos os casos, houve recordes nas séries históricas, segundo a Abrainc 

Dados de 18 empresas associadas à Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), mostram o lançamento de 58.384 unidades no 4º trimestre de 2021, um aumento de 15,3% na comparação com o último trimestre do ano anterior. Com isso, o número de unidades lançadas atingiu um recorde de 153.726 imóveis novos em 2021, uma alta de 27% em relação ao total de lançamentos em 2020. 

No quarto trimestre do ano passado, foram comercializadas 34.847 unidades, queda de 13,7% em relação mesmo período de 2020. Já as vendas totais das empresas em 2021 (143.576 unidades) cresceram 3,6% em relação ao registrado em 2020. Embora esse crescimento anual tenha sido mais modesto em relação ao observado no campo dos lançamentos, o resultado anual também instituiu novo recorde anual da série histórica dos indicadores, iniciada em 2014. 

As vendas líquidas (vendas menos distratos) caíram 15,1% no 4º trimestre de 2021, na comparação com o mesmo período do ano anterior, contrastando com o crescimento de 4,5% apurado entre 2020 e 2021. O desempenho positivo no indicador no balanço anual decorre da combinação entre o crescimento de 3,6% nas vendas de imóveis, e a queda de 2,2% no número de distratos (que só não foram inferiores, no horizonte temporal das séries históricas, ao total de distratos registrado em 2019) . 

Casa Verde e Amarela 

Os empreendimentos enquadrados no Programa Casa Verde Amarela (CVA) mantiveram sua representatividade entre unidades lançadas (57,9%) e comercializadas (80,2%) no cômputo agregado do ano. Por outro lado, é importante notar o declínio desses percentuais entre 2020 a 2021, principalmente no caso dos lançamentos residenciais (no qual a participação passou de 83,7% para 57,9%). Segundo a Abrainc, em boa medida tais mudanças refletem aspectos relacionados à oferta (como as regras e limites que definem o enquadramento de imóveis no programa CVA, a alta dos custos de insumos relacionados à construção civil, entre outros) e de demanda (com destaque para o comportamento de variáveis macroeconômicas que influenciam o affordability  – maior ou menor facilidade de acesso à aquisição do imóvel por potenciais compradores – dos imóveis nos diferentes segmentos). 

No 4º trimestre de 2021, foram lançadas 29.181 unidades relacionadas ao CVA, um recuo de 28,8% em relação ao registrado no último trimestre do ano anterior. Com isso, os lançamentos do segmento totalizaram 88.746 em 2021: queda de 12,3% em relação ao volume anual lançado no ano anterior. Comparativamente, as vendas associadas ao programa no 4º trimestre de 2021 (25.322 unidades) recuaram 22,3% em relação ao último trimestre de 2020. No balanço anual de 2021, contudo, o volume comercializado foi de 113.008 unidades, mantendo-se praticamente estável em relação à soma das unidades vendidas no período precedente. 

Médio e Alto Padrão 

Com respeito ao desempenho do segmento residencial de MAP, o volume recorde lançado no 4º trimestre de 2021 (29.197 unidades) representou uma elevação de 202,3% em comparação ao mesmo período de 2020, colaborando para uma alta igualmente notável de 226,2% em 2021 (64.505 unidades). Em termos de unidades vendidas, por sua vez, o resultado também foi positivo, embora menos expressivo: 8.840 unidades comercializadas no 4º trimestre de 2021 (alta de 21,5% em face do mesmo período de 2020) e 27.937 unidades, em 2021 (crescimento de 20,5% em comparação ao balanço anual de 2020). 

A Abrainc destaca o desempenho do segmento de médio e alto padrão no indicador de vendas líquidas (com crescimento de 26,0% em 2021) e na relação distratos-vendas (que recuou 3,8 pontos percentuais, a 10,9%) – ambos espelhando a alta nas vendas (+20,5%) e a queda no número de distratos do segmento (-11%). 

O que você precisa saber.
As últimas novidades sobre o mercado,
no seu e-mail todos os dias.

Skip to content