Sondagem

Empresários da construção estão menos pessimistas na condução da política econômica, aponta sondagem do SindusCon-SP

Otimismo em relação à queda da inflação alcançou o patamar mais alto desde o final de 2009

Por Enzo Bertolini 26/04/2017 10:00:15

Sondagem da Construção realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) junto à empresas do setor mostra diminuição do pessimismo na avaliação da condução da política econômica. Este indicador registrou alta de 2,8% (para 48,72 pontos) no trimestre formado pelos meses de dezembro de 2016, janeiro e fevereiro de 2017, na comparação com os três meses anteriores (setembro, outubro e novembro).

Apurada trimestralmente pelo SindusCon-SP desde agosto de 1999, a sondagem segue uma escala que vai de “0” a “100”, tendo o valor “50” como centro. Ou seja, abaixo de “50” pode ser interpretado como um desempenho não favorável. A exceção fica apenas por conta do item dificuldades financeiras, cujos valores abaixo de “50” significam dificuldades menores.

O otimismo com a inflação reduzida é o ponto mais marcante dessa percepção: o indicador alcançou o patamar mais alto desde o final de 2009 com crescimento de 58,1% (para 57,04 pontos).

Para o presidente do SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, “a queda da inflação e a expectativa de aprovação das reformas econômicas e das medidas de melhoria do ambiente de negócios contribuíram para reduzir o pessimismo da construção”.

Ele ressalva, entretanto, que as empresas ainda não vislumbram recuperação no curto prazo. “A percepção é que a indústria da construção atravessa uma fase de transição com baixa atividade, e que o volume de obras voltará a crescer com mais força em 2018”, observa.

Outro indicador que também registrou melhora na comparação interanual foi dificuldades financeiras, com redução de 2,5%, para 64,11 pontos (valores abaixo de “50” significam dificuldades menores). Embora ainda em patamar elevado, o indicador vem registrando queda desde maio do ano passado. “Com a redução mais expressiva das taxas de juros prevista para 2017, o indicador deve ter queda maior ao longo do ano”, avalia Romeu Ferraz.

A percepção em relação aos custos setoriais também apresentou variação positiva – de 3,6% (54,59 pontos) – refletindo a evolução mais favorável observada no passado. Em 2016, os custos com materiais tiveram variação bem menor que a inflação.

Futuro x realidade
Por outro lado, a percepção sobre o desempenho da empresa, ou seja, sobre a atividade no momento atual, não melhorou e caiu 3,7% (para 24,74 pontos), patamar abaixo do observado no ano passado (27,72 pontos).









Horário de atendimento

seg-qui 08h00 às 18h00

sex 08h00 às 12h00

Rua Drº Bacelar, 1.043 | 5º andar

Vila Clementino,

São Paulo-SP,

04026-002

Tel (11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br



Horário de atendimento

seg-qui 08h00 às 18h00

sex 08h00 às 12h00

Rua Drº Bacelar, 1.043 | 5º andar

Vila Clementino,

São Paulo-SP,

04026-002

Tel (11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br