Crédito imobiliário aumenta 112,8% no primeiro trimestre 

Rafael Marko

Por Rafael Marko

Crédito imobiliário aumenta 112,8% no primeiro trimestre 

Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) totalizaram R$ 18,35 bilhões em março de 2021. O montante foi 47,4% superior ao registrado em fevereiro e 172,7% maior que o volume de março do ano passado (R$ 6,73 bilhões).

Os dados são da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança). Segundo a entidade, os financiamentos em março representaram o maior volume nominal mensal registrado na série histórica iniciada em 1994.

No primeiro trimestre de 2021, o montante financiado somou R$ 43,09 bilhões, alta de 112,8% em relação a igual período do ano passado.

No acumulado de 12 meses, entre abril de 2020 e março de 2021, o volume atingiu R$ 146,81 bilhões, alta de 76,1% em relação ao período anterior.

Unidades financiadas 

Foram financiados em março, nas modalidades de aquisição e construção, 81,9 mil imóveis, resultado 61,8% maior que o de fevereiro. Comparado a março de 2020, a alta foi de 219,4%, mas neste caso não se pode ignorar os primeiros efeitos da pandemia do coronavírus no ano passado, ressalva a entidade.

Nos primeiros três meses de 2021 foram financiados, com recursos da poupança do SBPE, 187,6 mil imóveis, resultado 137,3% superior ao do primeiro trimestre de 2020.

Em 12 meses, entre abril de 2020 e março de 2021, foram financiados com recursos da poupança 535,3 mil imóveis, resultado 70,8% superior ao do período precedente (313,4 mil unidades).

Poupança segue em queda 

A captação líquida da poupança SBPE encerrou março em -R$ 4,85 bilhões, terceiro resultado negativo do ano. Sazonalmente, março tende a ser um período inexpressivo em termos de desempenho da poupança. Na séria histórica iniciada em 1995, observa-se que em 59% dos meses de março a captação líquida foi negativa; além disso, em 15% desses meses, não superou a tênue marca de R$ 1 bilhão.

De acordo com a Abecip, o resultado reflete o impacto do recrudescimento da pandemia. Medidas mais rígidas de distanciamento social e seus efeitos no emprego e na renda podem ter afetado o comportamento dos depósitos e saques de poupança.

Outros fatores a serem levados em conta são a diminuição do valor do auxílio emergencial em 2021 e a quantidade de pessoas elegíveis ao benefício, de acordo com a entidade.

Com isso, o saldo da poupança SBPE encerrou março em R$ 778,8 bilhões, recuando 0,5% no mês. Em termos anuais, houve crescimento de 18,1% em relação a março do ano passado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O que você precisa saber.
As últimas novidades sobre o mercado,
no seu e-mail todos os dias.

Skip to content