Confiança da construção tem ligeira queda 

Rafael Marko

Por Rafael Marko

Confiança da construção tem ligeira queda 

Em novembro, o Índice de Confiança do Empresário (Icei) da Indústria de Construção, medido pela Sondagem da Indústria da Construção da CNI (Confederação Nacional da Indústria), recuou 0,4 ponto, para 54,9 pontos.

A pontuação vai de 0 a 100, sendo que valores acima de 50 denotam confiança ou aumento da atividade e do emprego. A CNI coletou informações de 446 empresas, sendo 167 pequenas construtoras, 187 de médias e 92 de grandes, entre 3 e 12 de novembro de 2021.

Segundo a sondagem, desde setembro, a confiança tem permanecido relativamente estável. O Icei vem se mantendo acima da linha divisória dos 50 pontos, que separa a confiança da falta de confiança, e da média histórica, de 53,8 pontos. Assim, embora a confiança tenha se tornado menor e menos disseminada entre os empresários do que em outubro, as empresas seguem confiantes.

Entre outubro e novembro, o Índice de Condições Atuais aumentou de 47 pontos para 47,5 pontos. Ao ficar abaixo da linha divisória de 50 pontos, o índice reflete uma percepção negativa das condições atuais. O empresário percebe piora nas condições atuais da economia brasileira (índice de 41,7 pontos), mas isso não se aplica às condições da empresa (índice de 50,4 pontos).

O Índice de Expectativas apresentou queda de 0,8 ponto, porém permanece acima da linha divisória de 50 pontos. Os índices de expectativa de novos empreendimentos e serviços e de número de empregados se mantiveram estáveis em relação a outubro, em 54,2 pontos e 54,3 pontos, respectivamente.

Já as expectativas do nível de atividade e de compras de insumos e matérias primas registraram queda, de 0,8 ponto e 0,6 ponto, para 55,1 pontos e 54,4 pontos, respectivamente.

Apesar da queda, todos os índices de expectativas seguem acima da linha divisória de 50 pontos, indicando que as expectativas dos empresários são de crescimento para os próximos seis meses.

Intenção de investir  

Em novembro, o índice de intenção de investimento da indústria da construção avançou 2,1 pontos, para 44,5 pontos. Com esse aumento, o índice amplia sua distância da média histórica e se consolida em um patamar elevado em relação ao que vem sido observado nos últimos anos. Trata-se da segunda pontuação mais elevada desde 2014, seguido do mês de agosto de 2021, quando a intenção de investir atingiu 45,4 pontos.

Nível de atividade cresce 

Em outubro, o nível de atividade na indústria da construção apresentou aumento em relação a setembro. Nos últimos cinco meses, em quatro a atividade cresceu frente ao mês anterior.

O índice do nível de atividade ficou em 51,7 pontos, acima da linha divisória dos 50 pontos que separa aumento de queda do nível de atividade. O índice cresceu 1,2 ponto frente a setembro, o que aponta alta mais forte e disseminada da atividade.

O índice do número de empregados também ficou acima da linha divisória de 50 pontos, em 50,3 pontos. O índice mostra recuperação do emprego em outubro, após acumular dois meses consecutivos de recuo em agosto e setembro.

Utilização da Capacidade cresce 

Em outubro, a Utilização da Capacidade Operacional (UCO) aumentou um ponto percentual e atingiu 66%. O percentual de outubro se iguala ao registrado em agosto. Ambos são os maiores registrados desde novembro de 2014.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você precisa saber.
As últimas novidades sobre o mercado,
no seu e-mail todos os dias.

Skip to content