Meio Ambiente

Comasp debate reciclagem, logística reversa e economia circular

Encontro virtual mostrou exemplos práticos do setor

Por Daniela Barbará 22/05/2020 09:43:14

Sarro, Bôas, Teixeira, Ana Paula, Dias, Lilian e Vanessa Dias, responsável pela área de meio ambiente no SindusCon-SP
Sarro, Bôas, Teixeira, Ana Paula, Dias, Lilian e Vanessa Dias, responsável pela área de meio ambiente no SindusCon-SP

Fazer a conexão entre reciclagem e a economia circular foi um dos temas abordados pelo Comitê de Meio Ambiente (Comasp) do SindusCon-SP no webinar “Logística reversa dos resíduos da construção civil – experiências e oportunidades para o setor”, realizado no dia 15 de maio e moderado pela coordenadora técnica do Comasp, Lilian Sarrouf.

A abertura do encontro foi realizada pelo coordenador do Comitê, Fabio Villas Bôas, que destacou a importância do tema da reciclagem, que está diretamente ligado à questão da logística reversa e seus desdobramentos. “Debatemos a questão há mais de duas décadas e as construtoras buscam estar atentas aos benefícios ambientais e financeiros da correta gestão, separação e destinação dos resíduos gerados em suas obras e escritórios”, afirmou.

Há 20 anos o tema resíduos faz parte da pauta de atuação do Comasp, que atualmente ampliou o debate para logística reversa e economia circular. Seu Grupo de Trabalho de Tintas, que conta com a coordenação do SindusCon-SP, Fecomércio-SP e rede de lojas Leroy Merlin, convidou entidades, instituições, lojas de varejo, construtoras, incorporadoras, áreas de destinação de resíduos, fabricantes de tintas e de acessórios para pintura a desenvolver um projeto piloto para a implantação de uma proposta de logística reversa de resíduos da pintura imobiliária, tendo como princípio a economia circular e a valoração ambiental.

Pedro Sarro, diretor de Projetos e Obras e  Líder do Comitê de Sustentabilidade da Leroy Merlin, demostrou como será a campanha do projeto piloto “Dia Pintou, Sobrou, Levou”. “Ela incentivará o consumidor final a entregar em quatro pontos de coleta na cidade de São Paulo (lojas varejistas) os resíduos de pintura, para realização de diagnósticos e estudos para destinação e aproveitamento dos resíduos”.

Na prática

Victor Dias, coordenador de Sustentabilidade da Trisul S.A destacou entre os benefícios da segregação de resíduos: a agilidade no manuseio dos resíduos, melhor limpeza e organização do ambiente, melhor logística para descer os resíduos dos andares e com isso a diminuição do consumo de energia da cremalheira. “Como resultado, podemos dizer que a logística reversa envolvendo resíduos na construção gera uma economia de mais de 40%”, afirma Dias. A Trisul desenvolve soluções de destinação de resíduos e logística reversa com fornecedores de materiais cerâmicos e revestimento de fachadas, entre outros.

Em sua apresentação, Ana Paula Barroso, engenheira Ambiental e Sanitária da Cyrela, destacou que a resolução 469 de 2015 definiu critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. “Tratamos as latas de tintas, sejam a base d’água ou não, como logística reversa”, afirmou. “Nossa experiência traz um alto progresso no percentual de reaproveitamento de resíduos, que chega à 95% quando tratamos de latas de tintas, 70%, blocos de concreto e 98% resíduos eletrônicos”, destacou a engenheira. “A participação dos nossos fornecedores é importante. Na contratação é dada preferência àqueles que proporcionam soluções para logística reversa”, destacou a engenheira.

A correta gestão dos resíduos nos canteiros de obra permite que seja possível a reciclagem superior a 90% dos resíduos gerados. A informação é de Rafael Teixeira, diretor da Rafa Entulhos. “Considerando que os resíduos da construção civil representam um percentual significativo, dentro da totalidade dos resíduos sólidos urbanos, resultantes das atividades nas cidades, naturalmente é importante garantir que sejam gerenciados de tal maneira que os impactos ambientais sejam minimizados”.

Segundo  Teixeira, para que haja avanços em prol da construção sustentável, a gestão de resíduos é a iniciativa que mais oferece resultados; priorizando a reciclagem, economizando recursos naturais, favorecendo a logística reversa e a mobilidade urbana.

Gestão ambiental de resíduos da construção civil

No encerramento do encontro, Lilian Sarrouf coordenadora técnica do Comasp destacou a importância do Manual “Gestão ambiental de resíduos da construção civil: Avanços institucionais e melhorias técnicas”. Disponível gratuitamente na biblioteca do site do SindusCon-SP, o manual traz atualizações importantes para a gestão dos resíduos da construção civil, sua reutilização nas obras, possibilidades de reciclagem e também apresenta o Sistema Estadual de Gerenciamento Online de Resíduos Sólidos (Sigor) – Módulo Construção Civil.

Dia da Reciclagem

O SinduCon-SP, por meio do Comitê de Meio Ambiente (Comasp) e do Comitê de Tecnologia e Qualidade (CTQ), comemorou o Dia Internacional da Reciclagem em 17 de maio. Para a ocasião, foi elaborado um informativo para os associados e demais públicos sobre a importância da data, as ações que estão sendo desenvolvidas, a atuação do Grupo de Trabalho de Tintas do SindusCon-SP, a reciclagem no Estado de São Paulo e no município.









Horário de atendimento

seg-qui 08h00 às 18h00

sex 08h00 às 12h00

Rua Drº Bacelar, 1.043 | 5º andar

Vila Clementino,

São Paulo-SP,

04026-002

Tel (11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br



Horário de atendimento

seg-qui 08h00 às 18h00

sex 08h00 às 12h00

Rua Drº Bacelar, 1.043 | 5º andar

Vila Clementino,

São Paulo-SP,

04026-002

Tel (11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br